• 127bf8004e74890b
  • 1d0626f9990040f2
  • 3ec06118e051044c
25 de Março de 2019

Icone show economia negociosEconomia & Negócios

Governo do Brasil
12:31
10/12/2018

Inflação cai ao menor nível desde 1994

Indicador fechou novembro com queda de 0,21%. Produtos importantes, como combustíveis, ficaram mais baratos

 

A1175a60615ec115

No acumulado de 12 meses, inflação para os consumidores recuou para 4,05% - Foto: Tony Winston/Agência Brasília

 

Os preços de produtos importantes para as famílias brasileiras ficaram mais baratos em novembro.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação do período caiu 0,21% – o melhor resultado para o mês desde o início do Plano Real.

As principais influências favoráveis vieram de quedas de preços em habitação, vestuário, transporte, saúde e cuidados pessoais e comunicação.

As informações fazem parte do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador considerado a inflação oficial do País.

Com o desempenho de novembro, a taxa acumulada em 12 meses desacelerou de 4,56% para 4,05%.

Se o indicador se mantiver ao redor desse nível em dezembro, o Brasil terá cumprido a meta de inflação pelo terceiro ano consecutivo, cujo alvo central é um IPCA de 4,5%.

Produtos mais baratos
Segundo o IBGE, a energia elétrica teve o maior impacto favorável no índice, com queda de 4,04%.

Tivemos a mudança da bandeira tarifária. Estava no patamar dois da bandeira vermelha e passou a ser amarela. Isso foi o principal”, explicou o analista de Índice de Preços, Pedro Costa.

Os combustíveis também tiveram papel importante para que a inflação geral caísse no mês: a gasolina recuou 3,07%, o etanol caiu 0,52% e o óleo diesel 0,58%.

A Petrobras reduziu em 24% o valor cobrado nas refinarias e uma parte disso foi repassada para o consumidor final”, afirmou Costa.

O que é o IPCA
O IPCA é um indicador calculado pelo IBGE.

Ele começou a ser feito em 1980 e mostra a variação média de preços para uma cesta específica de produtos.

Essa cesta atende a famílias com rendimentos de um a 40 salários mínimos.

A pesquisa ainda alcança 10 regiões metropolitanas do País, além das cidades de Goiânia (GO), Campo Grande (MS), Rio Branco (AC), São Luís (MA), Aracaju (SE) e Brasília (DF).