• 38d00d7c80eef978
19 de Novembro de 2017

Notícias

Deso
20:21
12/09/2017

Diretor-presidente da Deso participa de assinatura de termo de empréstimo de equipamentos pela Sabesp

 

Com o intuito de reforçar o abastecimento de água em Sergipe, o governador Jackson Barreto e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinaram termo de empréstimo de equipamentos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp para a Companhia de Abastecimento de Sergipe - Deso, na manhã desta segunda-feira, 11, em São Paulo

 

Na ocasião, o diretor-presidente da Deso, Carlos Melo, esteve presente e ressaltou a importância da medida preventiva diante das sucessivas reduções de vazão no Rio São Francisco.   

 

"A partir da próxima semana as bombas flutuantes estarão chegando a Sergipe. É uma medida preventiva e cautelar que estamos tomando.

O governador do Estado, Jackson Barreto, preocupado com a situação que vem enfrentando o Rio São Francisco com sucessivas reduções de vazão, sinalizou que fizéssemos um estudo e isso foi feito.

Foi então que surgiu a ideia de procurar a Sabesp, para que ela pudesse ceder os flutuantes, através de um empréstimo, uma vez que ela utilizou muito na crise hídrica em São Paulo, em 2014.

A Companhia não está utilizando nesse momento, e como é uma medida preventiva e temporária, nada mais importante do que uma cessão com o governador do Esado de São Paulo, onde foi assinado um termo de concessão para que a Deso possa instalar esses flutuantes, garantindo o abastecimento da grande Aracaju", disse o diretor-presidente.

 

Ele confirma também a existências das obras estruturantes e descarta o risco de racionamento em Aracaju.

 

"Nós fizemos todas as obras estruturantes, a exemplo da Barragem do Poxim e a Adutora do São Francisco, e agora precismos adequar algumas captações em função dessas sucessivas reduções da vazão do São Francisco. Essa, por se tratar de uma vazão maior, procuramos  o empréstimo de forma preventiva.

Não temos risco de racionameno em Aracaju, e para que isso seja evitado, ficamos mais tranquilos, uma vez que a vazão do Rio São Francisco não há previsão de recuperação nos próximos dois meses, pois as chuvas que caem em Aracaju não influenciam para a recarga do Rio São Francisco, é preciso chover nove milímetros no oeste da Bahia e isso historicamente começa em novembro.

Com esse flutuantes instalados, teremos tranquilidade independente da redução da vazão que vier a acontecer", explicou Carlos Melo.  

 

Governo de Sergipe
Segundo o governador  de Sergipe, Jackson Barreto, a medida é preventiva e se antecipa a um futuro problema de desabastecimento.

 

“Queremos agradecer a cessão dos equipamentos com tecnologia capaz de nos ajudar a garantir o abastecimento de Aracaju e da Grande Aracaju.

Vamos levar a tecnologia como medida de prevenção, já que estamos vivendo um momento de dificuldades com a adutora que cerca de 1 milhão de pessoas em Aracaju e Grande Aracaju.

Se até novembro não tivermos chuvas na cabeceira do São Francisco, podemos chegar numa situação parecida com a Cantareira.

No momento, não há risco de desabastecimento porque temos a barragem do Rio Poxim, que garante 30% do abastecimento da capital e ainda há condição de se tirar água do São Francisco”, disse.

 

De acordo com o governador de São Paulo, o método de bomba flutuante foi desenvolvido durante a crise hídrica de 2014.

 

“Adquirimos uma boa tecnologia hídrica por conta da crise de 2014 e estamos cedendo equipamentos de grande potência para retirar água de regiões mais profundas.

O Rio São Francisco baixou a vazão em Sergipe, em virtude da grande seca que está ocorrendo, e isso dificulta a retirada de água para a capital. Então, cedemos para o governo de Sergipe.

É uma maneira, também, de retribuirmos o trabalho de tantos sergipanos que ajudam a construir nosso estado de São Paulo”, declarou Alckmin.

 

Flutuantes 
Os equipamentos são dois flutuantes com conjuntos moto-bombas com vazão de 4 m³/s. Os aparelhos ficarão à disposição da Deso por seis meses sem custo para o Estado, podendo ser estendida, caso seja necessário.

As bombas serão instaladas no Rio São Francisco, a principal fonte de capacitação de água para o abastecimento de Aracaju e região metropolitana. O transporte dos equipamentos será feito pela Deso, em carretas.

A Sabesp dispõe de assistência técnica para instalação e pré-operação dos equipamentos.

 

Foto: ASN