• 8acb2d20fd75eb97
  • 25a92b8190e0ddfe
20 de Janeiro de 2018

Saúde

ASN
17:43
11/01/2018

Novo Centro Administrativo da Saúde

Com a mudança de 14 unidades de Saúde para o Centro, o Huse poderá ampliar o número de leitos de 597 para 800

O governador Jackson Barreto e o secretário de Estado da Saúde, José Almeida Lima, visitaram o espaço no qual funcionará o novo Centro Administrativo da Saúde de Sergipe nesta quinta-feira, 11.

A concentração de setores da Pasta no prédio ampliará o número de leitos no Huse, que passará de 597 leitos para 800 leitos. A visita foi acompanhada por diversas autoridades, dentre eles, os presidentes do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), Cezário Siqueira Neto, e da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), o deputado estadual Luciano Bispo e o vice-governador Belivaldo Chagas.

Quatorze unidades da secretaria de Estado da Saúde (SES) serão transferidas para o novo Centro, que ocupa área de 30.000 m², dos quais 11.000 são área construída.

O governador destacou que o Centro trará economia ao Estado e possibilitará a liberação de áreas no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), permitindo, assim, a ampliação da qualidade e dos serviços oferecidos no maior hospital de Sergipe e em outras unidades da rede. 

 

“Os serviços administrativos da Saúde serão centralizados aqui.

Assim, a gente tira, por exemplo, alguns desses serviços do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), e abre espaço para criar mais enfermarias e leitos para atender à população pobre do estado.

Por outro lado, há uma economia, porque o aluguel desse prédio, em comparação com os outros aluguéis que tínhamos, é muito menor, ou seja, você presta um serviço melhor por menos.

E o resultado já pode ser percebido, o novo bunker da Radioterapia vai ser inaugurado agora; mais de 100 leitos novos estão sendo criados no Huse; o setor de Nefrologia; a parte da Pediatria do hospital infantil, que vai funcionar anexo ao prédio no qual já funcionou o antigo Adauto Botelho.

Temos também a Maternidade Hildete Batista; o Hospital de Nossa Senhora da Glória, que passa por uma reforma revolucionária para levar ortopedia e centro cirúrgico àquela região; o Hospital de Estância também terá uma reforma e ampliação de serviços com centro cirúrgico; Hospital de Itabaiana, com tomógrafo.

Quer dizer, uma gama de serviços para melhorar a saúde, atendendo o nosso maior objetivo, que é prestar um melhor serviço à população pobre de Sergipe”, explicou Jackson. 

 

 

O prédio está localizado na Avenida Augusto Franco e passou por várias adequações para receber o Centro, atendendo as necessidades previstas em lei no que diz respeito às características, dimensões e localização adequadas para a prestação de serviços de saúde à população.

O secretário Almeida Lima também ressaltou que, além da economia, gerada pelo cancelamento do aluguel de vários imóveis ao concentrar os serviços em um só local, o ponto mais importante da mudança é a liberação de espaços no Huse. 

 

“Essa obra possibilitará mais eficiência, modernidade e transparência aos serviços da Saúde. Nós não temos aqui nenhuma divisória.

Todos nós estaremos trabalhando aqui, inclusive o secretário no seu gabinete, sem qualquer divisória, de forma transparente.

A modernidade, transparência, eficiência e economicidade são bastante importantes. Mas esse Centro está trazendo outra qualidade que é exponencial para todos nós.

Quando aqui reunimos cerca de 15 outras unidades, que estavam espalhadas em Aracaju e também em Nossa Senhora do Socorro, nós estamos desocupando outros prédios para levá-los a atividade fim, ou seja, a criação de leitos, sobretudo, no Hospital de Urgências de Sergipe.

Com essas mudanças, o Huse, que hoje possui 597 leitos, passará a ter 800 leitos, dos quais 45 já foram entregues”, disse, explicando que a SES fará uma economia superior a R$ 100 mil. 

 

 

“O prédio foi alugado por R$ 150.000,00 mensais. Desalugamos imóveis que juntos somavam mais de R$ 250 mil, o que representa uma grande economia”, esclareceu o secretário.

 

De acordo com o vice-governador, Belivaldo Chagas, o objetivo do Centro condiz com a orientação do governador Jackson Barreto, de otimizar recursos para melhor atender a população sergipana.

 

"Esse Centro tem uma importância muito grande para gestão da Saúde, para ampliar áreas de atendimento nas diversas unidades hospitalares, a exemplo do próprio Huse.

Ao centralizar as ações da secretaria, fica mais fácil o acompanhamento e se diminui o custo de operação também, porque quando se tem vários prédios funcionando separados, o custeio é maior, pois são mais pessoas, despesas com energia e vigilância.

Em um momento de dificuldade financeira, toda economia de recursos em uma área tão importante, como a Saúde, é bem vinda.

Assim, podemos melhor investir no atendimento das pessoas. Ampliar os serviços de saúde é fazer com que a população se sinta  protegida, olhada e é justamente essa a determinação principal do governador Jackson Barreto e da Secretaria da Saúde", disse Belivaldo.

 

Controle
Entre as 14 unidades que irão para o novo Centro Administrativo, estão a diretoria de Vigilância Sanitária, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), almoxarifados da Rede Estadual de Saúde e todo o aparelhamento para armazenamento, controle e distribuição de vacinas, além da Ceadi (Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunológicos), que passará a receber o Ambulatório de Retorno do Huse, e do Centro de Atenção Integral a Saúde da Mulher (Caism).

O Palácio Serigy será desocupado e no local funcionará parte da Central de Regulação e também o Centro de Especialidades Médicas. Já o Setor de Pediatria sairá do Huse para o local onde hoje funciona o Almoxarifado Central, na Rua Porto da Folha, entre Laranjeiras e São Cristóvão. 

Segundo Almeida Lima, o espaço deve ser inaugurado até o fim de janeiro e proporcionará um maior controle dos recursos da Saúde.

 

“Aqui temos toda uma estrutura, estamos acabando com os depósitos, recuperando, aqui mesmo, equipamentos que não estavam em uso mais e voltarão a ser úteis.

Teremos catracas e ponto biométrico, um espaço só para medicamentos e para todos os insumos que são distribuídos em todas as 13 unidades de Saúde do estado.

Vamos reforçar o controle, que já é informatizado, mas estamos desenvolvendo um novo programa computadorizado para entrada, saída e controle rigoroso de medicamentos.

Essas gôndolas, estruturas metálicas e uma das empilhadeiras utilizadas, já estão inclusas no contrato de locação do espaço. Toda parte logística, de chegada e saída vai acontecer aqui.

Tudo de acordo com as determinações da Anvisa e do Ministério da Saúde. Também haverá economia de energia, pois foi instalado um telhado para dar claridade ao almoxarifado”, acrescentou.

 

Para o presidente da Alese, Luciano bispo, a organização do empreendimento é surpreendente.

 

“Todo mundo ficou surpreso com a qualidade da obra e o benefício que vai trazer para a saúde de Sergipe.

Vimos que aqui ficará reunido todo o setor administrativo da Saúde, toda a distribuição, com visibilidade a tudo e um melhor controle da chegada dos equipamentos e remédios.

É uma grande inovação, louvável e econômica”, declarou o deputado.

 

O promotor de justiça do Ministério Público do Estado, Francisco Ferreira de Lima Júnior, relatou que a proposta da estrutura é interessante.

 

"A estrutura física parece interessante, adequada, de forma a centralizar o serviço. Ao que parece, vai ser um espaço bem aproveitado para trazer agilidade e conforto para quem estiver trabalhando aqui”.