• 127bf8004e74890b
  • 1d0626f9990040f2
  • 3ec06118e051044c
23 de Abril de 2019

Icone show tema livreTema Livre

UMC / Sebrae
10:25
19/03/2019

Mostra reunirá trabalhos de 24 artesãos e profissionais da economia criativa

De 19 a 24 de março os sergipanos poderão conhecer o trabalho desenvolvido por artesãos e profissionais da economia criativa de oito municípios.

É que será realizada no Parque de Exposições João Cleophas a I Mostra da Economia Criativa.

O evento contará com a participação de 24 expositores de Aracaju, Campo do Brito, Frei Paulo, Divina Pastora, Itaporanga, Laranjeiras, Pirambu, Ilhas das Flores e Muribeca, apresentando trabalhos elaborados com as palhas da taboa e ouricuri, além dos tradicionais bordados, patchworks, artigos em crochê, cerâmica, madeira e ponto cruz.

As atividades acontecem das 16 ás 22h, com entrada gratuita.

 

6298638a9f0d0200

Um dos destaques da exposição é a presença das peças elaboradas com a renda irlandesa de Divina Pastora, considerada Patrimônio Cultural e Material Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e que possui o Selo de Indicação Geográfica.

A Mostra é realizada pelo Sebrae e também integra a programação da 7ª Feira Agropecuária do Estado de Sergipe, organizada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Sergipe (Faese).

Uma das expositoras do evento é artesã Simone Brandão, que há três anos se dedica à confecção de peças confeccionadas com tecidos.

Preparei artigos específicos, com uma temática rural e com o uso de elementos que remetem ao campo. O público encontrará produtos de qualidade e feitos com muito carinho.

 

Economia criativa

A economia criativa é o conjunto de negócios baseados no capital intelectual e cultural e na criatividade que gera valor econômico.

A indústria criativa estimula a geração de renda, cria empregos e produz receitas de exportação, enquanto promove a diversidade cultural e o desenvolvimento humano.

De acordo com Dados do Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil, publicado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), a participação do PIB Criativo estimado no PIB sergipano foi de 1,1% em 2017.

O estudo também apontou que naquele ano havia mais de 4,4 mil pessoas exercendo ocupações formais no núcleo dos segmentos criativos no Brasil.