• A28bc8b2469c14e5
12 de Novembro de 2019

Icone show turismoTurismo

Notícias ao Minuto
11:11
15/10/2019

Argentina e Brasil anunciam visto único para turistas chineses

AArgentina e o Brasil vão anunciar em Macau o reconhecimento recíproco de vistos emitidos pelos dois países a turistas chineses e vão isentar da necessidade de vistos os chineses que tiverem vistos para os Estados Unidos ou para a Europa.

No Fórum Global de Economia do Turismo (GTEF, na sigla em inglês), entre os dias 13 e 15 de outubro em Macau, Argentina e Brasil, convidados de honra da organização, vão atuar de forma coordenada para a captação de investimentos turísticos e de turistas chineses.

F6cebe22b9184b8a

Um dos objetivos é atrair parte dos 149 milhões de turistas que a China emite hoje para o mundo.

Para isso, Brasil e Argentina vão anunciar duas iniciativas que serão implementadas nos próximos meses: o turista chinês que pedir um visto para visitar a Argentina, terá, automaticamente, entrada aprovada no Brasil e vice-versa, os chamados vistos recíprocos.

Além disso, o turista chinês que já tiver visto para os Estados Unidos ou para o espaço Schengen terá, automaticamente, o direito de ingressar no Brasil e na Argentina sem a necessidade de outro visto.

"A implementação dessas iniciativas ainda não está finalizada, mas vamos construir isso com o Parlamento e com a Diplomacia. Pode estar terminado antes do final do ano", disse à Lusa o presidente do Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), Gilson Machado Neto.

Atualmente, apenas 60 mil chineses viajam ao Brasil, um número que as autoridades esperam aumentar rapidamente.

"Estima-se que a China, até 2030, emita 500 milhões de turistas para o mundo. A China vai abrir um escritório de Turismo em São Paulo, em novembro. Então, eu diria que, sendo pouco otimista, podemos dobrar a quantidade anual de turistas chineses ao Brasil", calcula Machado Neto.

A Argentina experimentou um crescimento com duas pequenas iniciativas há dois anos. Passou a conceder visto de 10 anos para o turista chinês e autorização eletrônica de viagem ao turista chinês que tivesse visto aos Estados Unidos ou ao espaço Schengen.

Em 2018, a entrada de turistas chineses aumentou 20% em relação ao ano anterior, chegando a 72 mil turistas. Nos primeiros oito meses de 2019, 50 mil chineses visitaram a Argentina, 8% a mais que no mesmo período de 2018.

Argentina e Brasil traçaram estratégias conjuntas para se promoverem como destinos associados e para atraírem investimentos no setor do Turismo durante o GTEF em Macau, onde estarão os referentes mundiais do setor.

O Fórum é uma plataforma na qual as autoridades têm contato direto com os investidores.

"Por ser a América do Sul tão longe para o chinês, ele não viaja só para a Argentina ou só para o Brasil. Combina os dois destinos. Por isso, a ação conjunta dos dois países no Fórum Global de Economia do Turismo, para que o aumento seja muito maior", explica Gilson Machado Neto, da Embratur.

Um desafio é a distância de 19 mil Km, da China ao Brasil ou à Argentina. Outro é somar novas companhias aéreas para a rota. A única empresa que voa à América do Sul é a Air China, com escala em Madrid, que chega a São Paulo, Brasil.

O ministro do Turismo da Argentina, Gustavo Santos, tem um plano de fazer a TAP unir a China com a Argentina, via Lisboa.

"Vamos juntos com o Brasil a Macau. Termos uma agenda para tratar da aceitação recíproca de vistos e dos investimentos que ampliem o Turismo aos dois países", indicou à Lusa, o ministro argentino, Gustavo Santos.