20 de Janeiro de 2021

Economia & Negócios

Edição: Hugo Julião
03:27
12/01/2021

Ford anuncia o fim da produção de veículos no Brasil

A Ford comunicou nessa segunda-feira (11) o fim da sua fabricação brasileira de carros.
 

A montadora anunciou que vai “encerrar a produção nas unidades de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e da Troller (Horizonte, CE) durante o ano de 2021, à medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”.

 

A fabricante informa que manterá no Brasil apenas a sede administrativa da América do Sul, o Centro de Desenvolvimento de Produto e o Campo de Provas de Tatuí, no interior paulista.



Atualmente, a montadora faz o Ecosport, o Ka e o Ka Sedan na planta de Camaçari (BA), mesmo local onde o Bronco foi flagrado há pouco tempo. J

á na fábrica cearense em Horizonte, a Troller produz o jipão T4.

A fábrica de Taubaté, no interior paulista, é responsável pela produção de motores e transmissões.

(Foto: Georges Gobet/AFP)

O anúncio da saída do Brasil pegou até mesmo o governo de surpresa.

Isso porque a marca havia recebido aproximadamente R$ 20 bilhões de incentivos para produzir no país desde 1999, segundo a Receita Federal.

O Polo de Camaçari, na Bahia, inclusive, foi todo formado com fornecedores e mão de obra ao redor da Ford.

Ford Maverick virá da linha de montagem em Hermosillo, no México (KG Design/Projeção)

Veja os novos carros da Ford que virão para o Brasil

Mesmo com a notícia do fim de seu catálogo por aqui, a montadora garantiu que abastecerá o Brasil com veículos importados.

A picape Maverick virá importada do México. Como parceiro comercial do Brasil, o país exportará a off-road sem pagar os 35% de taxa de importação.

Ou seja, é possível que a Maverick desembarque com preços competitivos para encarar a Fiat Toro.


Assim como a picape, o SUV elétrico Mustang Mach E e o Bronco também são fabricados no México e devem vir ao Brasil sem o acréscimo do imposto de importação.

Em relação à nova geração da Ranger, nada muda. A picape seguirá da fábrica de General Pacheco, na Argentina, diretamente ao Brasil.

A montadora norte-americana também incluiu a versão Black (que adota acabamento na cor preta) ao catálogo da Ranger no Brasil. Ela também virá do País vizinho.

Com informações do Jornal do Carro/Estadão

Compartilhe