02 de Dezembro de 2020

Notícias

Edição: Hugo Julião
17:16
26/10/2020

Polícia encontra 30 versões inéditas de músicas de Renato Russo

Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra Propriedade Imaterial (DRCPIM) apreenderam, nesta segunda-feira (26), um relatório que dá conta da existência de pelo menos 30 músicas em versões inéditas gravadas pelo cantor Renato Russo , morto em 1996.

O material foi encontrado pelos agentes durante a Operação Será, deflagrada nesta manhã, em cumprimento de mandados de busca e apreensão em dois estúdios de gravação e na residência de um produtor musical, no Centro e na Zona Sul do Rio.

Entre o material apreendido, há novas versões de sucessos gravados pela banda Legião Urbana.

Polícia localiza músicas inéditas de Renato Russo (Reprodução/TV Globo)

O caso começou a ser investigado há um ano, quando Giuliani Manfredini, filho de Renato Russo e detentor dos direitos autorais do pai, procurou a especializada para denunciar que um dono de um perfil fake nas redes sociais mencionava a existência de obras inéditas de Renato Russo.

A Polícia Civil localizou quem estava por trás do perfil e apurou que ele havia entrado em contato com um produtor musical.

Nesta segunda- feira, o delegado Maurício Demétrio, que investiga crime de violação de direitos autorais , deflagrou uma operação para cumprir os mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. 

Além do relatório das versões inéditas também foram apreendidos HDs e cartuchos de gravação.

"Há indícios de que a denúncia feita pelo filho de Renato Russo estava correta e que há mesmo versões de músicas inéditas.

Vamos agora analisar este material. Foi importante diligência realizada hoje.

Foi possível arrecadar elementos de provas cruciais para a continuidade da investigação e esclarecimento total dos fatos", disse o delegado.

Giuliano Manfredini, em 2015, em imagem de arquivo (Foto: Caio Duran/Ego)

O filho do cantor Renato Russo já foi ouvido nas investigações e por enquanto não há previsão de que ele preste novo depoimento. 

A polícia quer saber ainda onde estão as gravações citadas no relatório. 

O produtor musical, que estava com o documento, deverá ser ouvido, ainda nesta segunda-feira, na DRCPIM.

Fonte: Ag.OGlobo/IG

Compartilhe