07 de Março de 2021

Saúde

Edição: Hugo Julião
09:18
15/01/2021

Quem são os 5 diretores da Anvisa que decidem sobre as vacinas no Brasil

Com duas vacinas contra a Covid-19 aguardando um sinal verde para serem aprovadas no país, as atenções se voltam neste momento para a Anvisa, responsável pela liberação de imunizantes e medicamentos no Brasil.

Caberá neste domingo (17) a cinco membros da Diretoria Colegiada a autorização de uso emergencial das vacinas.

Segundo a Anvisa, no encontro de domingo os diretores deverão analisar os dados de relatório elaborado pela área técnica sobre os dois pedidos.
 

A avaliação técnica é feita por três áreas distintas da Anvisa, que são as áreas responsáveis pelo registro de medicamentos, pela certificação de boas práticas e pela farmacovigilância de medicamentos, que é o monitoramento de produto no mercado.


Ao todo, as equipes envolvidas nas análises somam 50 pessoas.
 


A partir desse parecer, o grupo decidirá se liberará ou não a aplicação das vacinas. A decisão ocorre por votação.

O encontro está previsto para ocorrer na parte da manhã, a partir das 10 horas.

A expectativa é que a reunião dure 5 horas, sendo transmitida pelos canais digitais da Anvisa.

A necessidade de reunião entre os diretores se dá porque se trata de uso emergencial e em caráter excepcional das vacinas –no caso de pedidos de registro, a decisão cabe apenas à área técnica.

A data da reunião corresponde ao último dia do prazo definido pela agência para analisar os pedidos de uso emergencial de vacinas.


As regras para uso emergencial foram criadas em dezembro, e a vacina contra a Covid-19 será a primeira a ser aplicada dessa forma no país.

Também será a primeira vez que uma reunião pública da Diretoria Colegiada da Anvisa acontece num domingo.

Da esq. para dir. , os diretores da Anvisa Alex Machado Campos, Meiruze Sousa Freitas, Romison Rodrigues Mota, Cristiane Rose Jourdan Gomes e Antônio Barra Torres (Agência Senado)

A Diretoria Colegiada é formada por cinco membros:


Antônio Barra Torres (diretor-presidente) (indicado no governo Bolsonaro)

- Contra-almirante da Marinha, formado em medicina pela Fundação Técnico-Educacional Souza Marques (RJ), foi diretor do Centro de Perícias Médicas da Marinha e do Centro Médico Assistencial da Marinha

- Assumiu como diretor-presidente interino em dezembro de 2019, sendo efetivado no mês passado


Meiruze Sousa Freitas (indicada no governo Bolsonaro)

- Especialista em tecnologia farmacêutica e servidora de carreira da Anvisa desde 2007

- Na agência, foi gerente-geral de toxicologia e gerente da área de medicamentos

- Ocupa o cargo de diretora substituta desde abril e foi efetivada em novembro.


Cristiane Rose Jourdan Gomes (indicada no governo Bolsonaro)

- Médica e graduada em direito

- Trabalhou parte de sua carreira como gestora de planos de saúde. Até agosto, foi diretora do Hospital Federal de Bonsucesso (RJ)


Romison Rodrigues Mota (substituto - indicado no governo Bolsonaro)

- Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Goiás.

- Servidor de carreira da Anvisa desde 2005, exerceu por 5 anos o cargo de Gerente de Orçamento e Finanças.

- Ocupou em 2015 o cargo de Gerente Geral de Gestão Administrativa e Financeira.

- Foi nomeado diretor substituto em julho de 2020.


Alex Machado Campos (indicado no governo Bolsonaro)

- Formado em direito

- Servidor de carreira da Câmara dos Deputados, com bom trânsito no mundo político

- Atuou no gabinete do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta

Seu nome foi uma indicação do bloco político Centrão.

Compartilhe