• F9fb45c18d8bfc00
  • 117370fc98312d4c
  • 5b7ad8a92a7264b8
26 de Outubro de 2020

Icone show economia negociosEconomia & Negócios

Redação / Hugo Julião
09:42
19/05/2020

Saiba quais são os três setores que provavelmente sumirão por conta do coronavírus

Meu tio era chef no melhor restaurante da Austrália, o Banc. O lugar estava sempre lotado. Entre os clientes regulares estavam o magnata da mídia Rupert Murdoch e o ex-presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev.

Muitos clientes do Banc eram empresários internacionais que estavam na cidade para trabalhar. E esse era o lugar para ir se você quisesse impressionar os clientes.

Mas então o desastre aconteceu. Após os ataques terroristas de 11 de setembro, as viagens aéreas pararam. O Banc passou do restaurante mais exclusivo da Austrália e foi direto à falência em menos de dois anos.

Compartilho essa história porque ela mostra uma poderosa lição sobre rompimentos. Veja, meu objetivo não é apenas ajudá-lo a lucrar com a quebra dos padrões. Você também deve evitar ser pego no lado errado de uma crise.

E isso é mais importante hoje do que nunca. Como venho dizendo, estamos em um dos períodos mais perturbadores da história no momento. O coronavírus chegou e aniquilou algumas das maiores indústrias que conhecemos.

Por: Stephen McBride

8ec46c73b42032b3

No início de maio, a Boeing apresentou a primeira aeronave não tripulada Loyal Wingman, que usa inteligência artificial para ampliar os recursos de plataformas tripuladas e não tripuladas. 

Veja o setor de companhias aéreas, por exemplo. A CNN relata que as aéreas globais podem enfrentar um impacto de US$ 113 bilhões com a crise do coronavírus.

A Boeing deixou de ser a rainha do mundo e passou a implorar por um resgate em questão de semanas.

Mas o fato é: todos sabemos que as companhias aéreas acabarão se recuperando quando essa pandemia finalmente terminar. Definitivamente, será muito um período longo e difícil, mas elas sobreviverão.

Outros não terão a mesma sorte. O fato é que, para muitas indústrias, essa crise será o prego final no caixão. Alguns setores nunca voltarão ao que eram antes.

Saber a diferença entre quais irão eventualmente voltar e quais serão eliminadas definitivamente é crucial agora.

Coloque seu dinheiro no lugar errado dessa crise, e isso custará caro. Selecionei, então, três setores destinados ao fracasso. Veja a seguir:

 

Salas de cinema

2ff210dc4d859a9a

A produtora de filmes Universal recentemente detonou uma bomba nuclear em Hollywood. O filme infantil “Trolls 2” se tornou o primeiro filme popular a ser lançado online, ignorando as salas de cinema. As famílias podem assistir em casa por US$ 20.

A Disney seguiu o exemplo, lançando seu mais recente sucesso “Dois Irmãos: uma Jornada Fantástica” digitalmente. Isso é muito mais perturbador do que a maioria das pessoas imagina.

Os cinemas sempre tiveram uma janela de tempo exclusiva para lançamentos de filmes. Eles exigem direitos exclusivos de 90 dias antes que o filme possa ser exibido em outro lugar. Em suma, é assim que eles ganham dinheiro.

Os cineastas se interessavam pelos lançamentos de filmes online, mas os cinemas sempre impediam essa ideia.

Em 2011, a Universal tentou lançar o filme “Roubo nas Alturas” online quando ainda estava nos cinemas. A Cinemark, a segunda maior cadeia de cinemas da América, disse que não exibiria o filme se fosse lançado em outro lugar.

Com os cinemas fechados em todo o país, os cineastas foram forçados a afrouxar as amarras e lançar filmes online.

E isso não deve ser uma experiência pontual. A Universal disse que não daria mais aos cinemas um período exclusivo após o encerramento da quarentena.

Este é o fim da maioria dos cinemas. A área já estava com dificuldades antes do coronavírus. De acordo com dados do site Box Office Mojo, em 2019, os cinemas tiveram o menor público desde a década de 1920.

Perder a janela de exclusividade é uma sentença de morte. Milhões de pessoas preferem assistir a filmes em casa. Daqui a cinco anos, os cinemas serão como lojas de discos.

 

Lojas de departamento

C91696b030947400

A Macy’s perdeu 60% de valor desde janeiro. Agora, sua ações estão sendo negociadas no nível mais baixo de todos os tempos.

A empresa agora vale menos de US$ 2 bilhões. Uma coisa é clara: a empresa está morta. E não é a única.

Como mencionei antes, lojas físicas como a Macy’s vinham sendo ultrapassadas por lojas inovadoras online nas últimas décadas.

O coronavírus será o golpe final para aquelas que ainda estão de pé. Milhares de lojas simplesmente não irão reabrir suas portas após a quarentena.

Essa é a situação: as vendas online aumentaram 450% desde 2007. Mas uma grande maioria de dólares ainda é gasta em lojas físicas.

A quarentena está forçando muitos a comprar coisas online pela primeira vez. Isto é especialmente verdade para as pessoas mais velhas, que são mais vulneráveis, mas com menor probabilidade de comprar pela internet.

Eu imagino que milhões de pessoas estão tendo uma epifania agora. Elas apertaram alguns botões um botão e um pacote apareceu em suas casas alguns dias depois. Então elas se perguntam: “Uau, isso é muito útil. Por que nunca fiz isso antes?”.

O coronavírus abriu as comportas para compras online. Varejistas como Macy’s, Gap, Nordstrom, Kohl, Bed Bath & Beyond e Footlocker dão indícios de estarem indo à falência.

 

Espaços de trabalho e escritórios

23eba429c04f06ff

Recebi uma ligação de um bom amigo no fim de semana. Trevor é dono de uma empresa de transporte em San Francisco.

Ele trabalha principalmente com pequenas e médias empresas e estava conversando com o CEO de uma empresa com mais de 400 funcionários na semana passada. 

Ele disse a Trevor que a configuração atual de “trabalho remoto” está indo tão bem que ele não irá renovar o contrato de locação quando expirar.

Marque minhas palavras: o coronavírus é uma revolução no quesito trabalhar em casa.

Essa crise forçou o mundo a um experimento em massa. Dezenas de milhões de pessoas estão trabalhando em casa pela primeira vez.

Está mudando a visão de uma geração inteira sobre o que pode ser feito remotamente. Depois de meses trabalhando em casa, as pessoas percebem que são igualmente produtivas.

Eles passarão a questionar por que precisam ir ao escritório todos os dias. E trabalhar remotamente, digamos, dois ou três dias por semana se tornará o novo normal.

De fato, quando perguntado sobre o trabalho remoto, o diretor de RH do Twitter disse à CNBC: “Não acho que voltaremos ao modo como costumávamos operar”.

Não estou dizendo que os escritórios ficarão totalmente vazios. Mas o número de pessoas que trabalham em casa vai aumentar. E quando 30% do seu escritório estiver vazio todos os dias, os CEOs vão pensar em cortar aluguéis.

Por exemplo, o CEO que Trevor conversou declarou que o trabalho remoto vai economizar à empresa US$ 10 milhões por ano em aluguel e despesas. Essa mudança é um grande golpe para empresas que possuem e operam escritórios.

Comprar escritórios chiques em cidades como Nova York e São Francisco tem sido uma aposta segura há décadas. Essa tendência irá mudar à medida que o trabalho remoto virar um padrão, mesmo depois do coronavírus.

 

__________________________________

7adc90588097ae02

MAIS NOTÍCIAS

Oito estados concedem reajuste a servidores públicos

Capas com as manchetes dos principais jornais nacionais desta terça (19)

Psiquiatras alertam para 'tsunami' de problemas de saúde mental em meio à pandemia

Descoberta em Marte: novas evidências de rios antigos encontradas no planeta

Coronavírus: vacina contra tem resultados positivos em testes em humanos

18ª Semana Nacional de Museus tem programação virtual

Revista Advogados chega a sua 7ª edição, agora em formato digital; confira os destaques

Sebrae amplia apoio ao MEI para superar a crise do coronavírus

Drones: a tecnologia a favor da vida, entregando remédios e monitorando aglomerações

As "filas da fome" em Madrid

Cachorros também passam pela adolescência, diz estudo

O destinos das torres de escritórios após a pandemia

Estudantes brasileiros estão entre os 20 finalistas de prêmio mundial de inovação

Covid-19: o Brasil tem 59 mortes por um milhão de habitantes; veja comparação com 7 países

Pesquisadores de Israel criam teste que detecta coronavírus em um minuto

O que se sabe sobre o misterioso avião orbital da Força Aérea dos EUA

Sebrae lança mentoria para ajudar pequenos negócios a aumentar vendas online

Unicef alerta: por restrições à circulação, mais de 6.000 crianças podem morrer por dia no mundo​

ONU: serviços de saúde mental devem ser parte essencial na pandemia; veja vídeo

Sebrae oferece consultorias gratuitas aos empresários

Com restrições, Gramado e Canela reabrem hotéis e atrações turísticas​

Futebol: Serie A italiana volta dia 13 de junho

Fotógrafo dedica-se a registrar pessoas que parecem gêmeas, mas nem parentes são

ONU: interrupções em serviços de HIV podem causar 500 mil mortes adicionais por AIDS

Por que ver documentários sobre natureza pode fazer bem à mente na quarentena​

Os segredos da cidade "mais verde" do mundo; São Paulo ocupa surpreendente 5º lugar

Quem ficou com a fortuna bilionária de Hitler?​

Por que o Polo Norte Magnético da Terra está migrando do Canadá para a Rússia​

Retratos da Real Beleza: você é mais bonita do que pensa ser

Fotógrafo brasileiro retrata as mudanças no rosto dos amigos após 3 taças de vinho

Viagem ao Centro da Terra: o buraco mais profundo já cavado na história

Desmatamento na América do Sul está mais lento, segundo a ONU

Imagine a miséria pós-pandêmica das viagens de negócios​

5 pontos para entender o pensamento de Maquiavel

Insônia: como dormir bem em tempos de quarentena e pandemia

O que será das viagens aéreas após a pandemia do coronavírus​

Dicas de um astronauta da NASA para enfrentar o isolamento; veja vídeo​

Como Einstein, um físico totalmente apaixonado pela ciência, organizava seu tempo

Superação: com livros achados no lixo, ex-diarista entrou na faculdade de Direito e virou PM

Ao divulgar vídeos de fenômenos aéreos, Pentágono disparou o interesse pelos OVNIs​

Dr. Arthur Guerra: "A quarentena está mudando a nossa relação com o álcool"

O que diz um dos "pais" da internet sobre como nos proteger da obsolescência digital

 Paleontologistas revelam 'o lugar mais perigoso da história do planeta Terra' ​

Combate à fome no mundo: Covid-19 pode causar retrocesso de 20 anos

Pink Floyd: acesso gratuito a shows clássicos como Pulse de 1994; na íntegra​

Mapa compara o tamanho dos estados brasileiros à extensão de outros países​

A designer Becca Saladin interpreta como seriam os rostos da realeza do passado​

onheça as obras hiper-realistas de Samuel Silva, feitas apenas com esferográficas​

Conheça o trabalho da fotógrafa que captura sonhos com sua lente​

Tatiana Cobbett lança novo single do seu álbum "Lá & Cá"​

Veja os vídeos dos Beatles com as suas10 músicas mais ouvidas de todos os tempos

Uma história de quem apostou no velho vinil e encontrou um novo mercado

Observatório Edge: o mais alto mirante a céu aberto de Nova York e do hemisfério ocidental​

Invenções criadas por mulheres – e que nem sempre foram reconhecidas como tal​

Metade das praias do planeta pode sumir até o fim deste século, diz estudo​

Nasa recriou em 4K o que os astronautas da Apollo 13 viram ao contornarem a Lua​