11 de Maio de 2021

Ciência & Tecnologia

Edição: Hugo Julião
19:48
21/02/2021

Consumo regular de cafeína afeta a estrutura do cérebro

Café, cola ou bebida energética: a cafeína é a substância psicoativa mais consumida no mundo.

Pesquisadores da Universidade de Basel mostraram agora em um estudo que a ingestão regular de cafeína pode alterar a massa cinzenta do cérebro.

No entanto, o efeito parece ser temporário.

A dose diária de cafeína faz parte da vida cotidiana de muitas pessoas (Foto: Nathan Mullet, Unsplash)

Sem dúvida, a cafeína ajuda a maioria de nós a se sentir mais alerta. No entanto, pode interromper nosso sono se consumido à noite.

A privação do sono pode, por sua vez, afetar a massa cinzenta do cérebro, como mostraram estudos anteriores.


Então, o consumo regular de cafeína pode afetar a estrutura do cérebro devido à falta de sono?

Uma equipe de pesquisa da Universidade de Basiléia e do Hospital Psiquiátrico da mesma instituição investigou esta questão em um estudo.

Fundada em 1460, a Universidade de Basiléia é a mais antiga da Suíça

--------------------

Participou do estudo um grupo de 20 jovens saudáveis, todos consumindo café regularmente, diariamente.

Eles receberam comprimidos para tomar durante dois períodos de 10 dias e não consumiram qualquer outra cafeína durante esse período.

Durante um período de estudo, eles receberam comprimidos com cafeína; no outro, comprimidos sem princípio ativo (placebo).


No final de cada período de 10 dias, os pesquisadores examinaram o volume da massa cinzenta dos indivíduos por meio de varreduras cerebrais.

Eles também investigaram a qualidade do sono dos participantes no laboratório do sono, registrando a atividade elétrica do cérebro (EEG).


A comparação dos dados revelou que a profundidade do sono dos participantes foi igual, independentemente de terem tomado a cafeína ou as cápsulas de placebo.

Mas eles viram uma diferença significativa na massa cinzenta, dependendo se o sujeito havia recebido cafeína ou placebo.

Após 10 dias de placebo - ou seja, “abstinência de cafeína” - o volume de massa cinzenta foi maior do que após o mesmo período de tempo com cápsulas de cafeína.

O consumo regular de cafeína altera a estrutura do cérebro (Orlando Florin Rosu/Stock)

A diferença foi particularmente notável no lobo temporal medial direito, incluindo o hipocampo, uma região do cérebro que é essencial para a consolidação da memória.

Nossos resultados não significam necessariamente que o consumo de cafeína tenha um impacto negativo no cérebro”, enfatiza o doutor Carolin Reichert, que liderou a equipe de pesquisa.

“Mas o consumo diário de cafeína evidentemente afeta nosso hardware cognitivo, o que por si só deveria dar origem a mais estudos.”



Ela acrescenta que, no passado, os efeitos da cafeína na saúde eram investigados principalmente em pacientes, mas também há necessidade de pesquisas em indivíduos saudáveis.

Embora a cafeína pareça reduzir o volume da matéria cinzenta, após apenas 10 dias de abstinência do café, ela se regenerou significativamente nos assuntos de teste.

“As mudanças na morfologia do cérebro parecem temporárias, mas até agora faltaram comparações sistemáticas entre os que bebem café e aqueles que geralmente consomem pouca ou nenhuma cafeína”, diz Reichert.

Fonte: Universidade de Basiléia

Compartilhe