26 de Janeiro de 2021

Notícias

Edição: Hugo Julião
15:12
12/01/2021

Twitter suspende 70 mil contas vinculadas a movimento pró-Trump

O Twitter anunciou nesta terça-feira (12) ter bloqueado de forma definitiva "mais de 70.000 contas" ligadas ao movimento pró-Trump QAnon.

A decisão ocorreu após a invasão do Capitólio dos Estados Unidos por uma multidão de partidários do presidente americano.
 


"Devido aos incidentes violentos em Washington D.C. e ao aumento do risco de vandalismo, começamos a suspender permanentemente milhares de contas que eram principalmente dedicadas ao compartilhamento de conteúdo QAnon", anunciou o Twitter em seu blog.  

"Desde sexta-feira (8), mais de 70.000 contas foram suspensas como resultado de nossos esforços", diz a publicação. 

Apoiadores exibindo pôsteres do QAnon apareceram nos comícios de Trump no verão passado (Getty Images)

Uma das principais teorias difundidas pelo movimento de extrema direita QAnon afirma que Trump está travando uma guerra secreta contra um culto liberal global de pedófilos adoradores de Satanás.

Um de seus principais representantes, Jack Angeli, chamou atenção de todo o mundo durante a invasão do Capitólio na semana passada. 

Com o torso nu e usando um chapéu feito de pele e chifres, o homem de 30 anos natural do Estado do Arizona se classifica como um "guerreiro espiritual" e "um soldado digital do QAnon".


Facebook e Twitter suspenderam indefinidamente as contas de Trump.

Ao tomarem a decisão, ambas as plataformas fizeram referência ao risco de violência futura, especialmente antes da cerimônia da posse de Biden, prevista para ocorrer em 20 de janeiro.


O Twitter disse que também levou em consideração que os planos para mais protestos violentos têm proliferado dentro e fora da plataforma.

Segundo a rede social, um segundo ataque contra o Capitólio e prédios do governo estariam sendo preparados para serem realizados em 17 de janeiro.

O Twitter era a rede social preferida de Trump, utilizada para comentários e anúncios oficiais.

A conta do líder republicano tinha 88 milhões de seguidores quando foi suspensa.

 

Com informações da AFP

Compartilhe