02 de Dezembro de 2020

Notícias

Edição: Hugo Julião
05:15
21/11/2020

Maioria acha que pandemia deve piorar em 2021, mostra pesquisa Datafolha

A maioria dos eleitores de três grandes capitais do país acha que haverá uma piora nos casos de Covid-19 no ano que vem.

Pesquisa Datafolha feita nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Recife mostra ainda que a maior parte dos entrevistados é a favor do fechamento de serviços não essenciais se houver agravamento da pandemia.  

O Datafolha ouviu 1.254 eleitores a partir de 16 anos na capital paulista, 1.064 na fluminense e 924 na capital pernambucana nos dias 17 e 18 de novembro.

A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95% para todos os casos.

(Getty Images)

Mais pessimistas, 65% dos recifenses preveem aumento dos casos em 2021. Esse índice é de 60% entre paulistanos e 58% entre cariocas.

Nas três cidades, as mulheres creem mais do que os homens na piora do quadro da doença, com taxas que variam entre 65% e 68%.

O maior grau de otimismo foi encontrado no Rio, onde 37% não acham que haverá piora nos casos de Covid-19, seguido por São Paulo (36%) e Recife (30%).

A avaliação de que haverá aumento de contaminados pelo novo coronavírus no ano que vem é predominante entre os eleitores mais jovens, alcançando maiores índices na faixa dos 16 aos 24 anos no Rio (66%) e em Recife (80%), e no grupo de 25 e 34 anos em São Paulo (68%).

Quando considerada a renda familiar, quanto menor ela for, maior é o grau de pessimismo em relação à pandemia.

Diante de uma possível piora na pandemia em 2021, a maioria dos eleitores também se diz a favor de ações mais restritivas, como a diminuição do horário de funcionamento de comércios e serviços.

A maior adesão à medida foi identificada pelo Datafolha em Recife (74%), seguido do Rio (71%) e de São Paulo (69%). A opção é majoritária em todos extratos da pesquisa.

Já no caso de ações mais drásticas, como fechamentos de serviços não essenciais, a maioria dos entrevistados nas três capitais também se mostrou favorável.

O fechamento de lojas, bares e restaurantes foi apoiado por 66% dos eleitores em Recife, 65% no Rio e 61% em São Paulo.

Já o fechamento de serviços como academias, salões de beleza e escritórios teve adesão de 70% dos ouvidos pelo Datafolha no Rio, 67% em Recife e 66% em São Paulo.

De forma geral, essas medidas encontram maior apoio nas parcelas de eleitores mais jovens, com mais escolaridade e também com maior renda.

O fechamento de escolas em caso de aumento de contaminados por Covid-19 recebe adesão de um grupo ainda maior de eleitores.

Os índices, puxados pelas mulheres, chegam a 72% no Rio, 70% em São Paulo e 69% em Recife.

Com informações da Folhapress

Compartilhe